Cadastre seu e-mail e receba informativos
Menu de artigos

 A chegada do filhote
 A escolha do filhote
 Castração
 Conheça os gatos
 Cuidados básicos
 Dúvidas frequentes
 Escolhendo o gato
 Gato perdido!
 Mordidas de gato
 Onde comprar
 Pelagem
 Posse responsável
 Vacinação
 Viajando com o gato

 Entidades protetoras


Comportamento

 Arranhar/Afiar unhas
 Catnip
 Comer grama
 Convívio com cães


Reprodução

 Acasalamento
 Cio
 Ciclo Reprodutivo
 Desmame do filhote
 Gestação
 Parto


Saúde

 Diagnósticos
 Doenças
 Gatos idosos
 Odontologia
 Parasitas
 Primeiros socorros
 Reprodução
 Tratamentos
 Zoonoses


Menu de serviços

 Achados e perdidos 
 Adoção
 Álbum de Fotos
 Amizades
 Cadastro de Pet Shop
 Cãorreio sentimental
 Doação
 Dogcast
 Histórias
 Página Animal
 Pesquisar estudantes
 Pesquisar veterinários
 TV Webanimal videos





Panleucopenia

É uma doença causada por um vírus bastante resistente, que pode sobreviver no meio ambiente por um ano.

O vírus penetra no animal através da boca ou focinho. A seguir, ele vai pela corrente sanguínea infectar órgãos cujas células se multiplicam velozmente, como medula óssea, intestinos e gânglios linfáticos.

Os sinais da doença são: falta de apetite, apatia, febre, diarreia, vômitos, e desidratação. Ocorre uma diminuição nas células de defesa do organismo, os leucócitos, daí o nome da doença, panleucopenia.

Gatinhos muito novos podem morrer em 2 ou 3 dias. Em gatos adultos, a doença pode manifestar-se de uma forma branda ou bastante grave. Quando a doença acomete uma fêmea gestante, pode haver morte do feto ou o filhote pode nascer com o cerebelo pouco desenvolvido. Essa região é responsável pelo equilíbrio. Assim, alguns gatinhos que foram infectados durante a gestação com o vírus da panleucopenia podem apresentar ataxia (incoordenação). Esse "defeito", algumas vezes, pode ser compensado pelo animal, sendo compatível com a vida.

A contaminação se dá pelo contato direto com animais doentes ou indireto, através da saliva, vômito, fezes e urina de gatos doentes. Animais convalescentes podem eliminar vírus por vários meses após a recuperação. As fêmeas transmitem a doença para os filhotes através da placenta.

O diagnóstico é feito através dos sinais clínicos e exame de sangue. O tratamento consiste em dar condições para que o animal vença a doença, combatendo os sintomas (vômito, diarreia, desidratação, infecções oportunistas).

A única maneira segura de prevenir a doença e através da vacinação. Mesmo com a vacina, deve-se evitar o contato com animais doentes, animais que adoeceram há poucos meses e ambientes que abrigaram gatos doentes.


Silvia C. Parisi
médica veterinária - (CRMV SP 5532)


Webanimal
www.webanimal.com.br



Livro sobre cães
lado1
pixel

Livro Crônicas para ler com seu cachorro

pixel
lado2
vazio

Guia de Primeiros Socorros

Diário do Dudu
A volta ao mundo




quem somos | fale com a gente
Webanimal é marca registrada da Realty Informática Ltda.
Proibida a reprodução de artigos sem prévia autorização ©Copyright 1998 - 2016