Cadastre seu e-mail e receba informativos
Menu de artigos

 A chegada do filhote
 A escolha do filhote
 Castração
 Conheça os gatos
 Cuidados básicos
 Dúvidas frequentes
 Escolhendo o gato
 Gato perdido!
 Mordidas de gato
 Onde comprar
 Pelagem
 Posse responsável
 Vacinação
 Viajando com o gato

 Entidades protetoras


Comportamento

 Arranhar/Afiar unhas
 Catnip
 Comer grama
 Convívio com cães


Reprodução

 Acasalamento
 Cio
 Ciclo Reprodutivo
 Desmame do filhote
 Gestação
 Parto


Saúde

 Diagnósticos
 Doenças
 Gatos idosos
 Odontologia
 Parasitas
 Primeiros socorros
 Reprodução
 Tratamentos
 Zoonoses


Menu de serviços

 Achados e perdidos 
 Adoção
 Álbum de Fotos
 Amizades
 Cadastro de Pet Shop
 Cãorreio sentimental
 Doação
 Dogcast
 Histórias
 Página Animal
 Pesquisar estudantes
 Pesquisar veterinários
 TV Webanimal videos





Mordidas de cães e gatos

Mordidas de cães e gatos

Quem convive diretamente com animais de estimação está sujeito a levar mordidas e arranhões. Pode ser algo leve e sem importância, ocorrido durante uma brincadeira. Mas se o animal atacar por agressividade ou reação à dor, a mordida pode ser grave e necessitar de cuidados.

A boca dos cães e gatos possui vários tipos de bactérias, assim como a nossa. Algumas delas são patogênicas, isto é, podem causar doenças.

Se compararmos as consequências da mordedura de um cão e a de um gato, veremos que as mordidas dos felinos têm uma chance dez vezes maior de causar infecção aos humanos que a dos cachorros. Isso porque os dentes dos gatos são bem mais afiados e, portanto, a mordedura é sempre mais profunda e difícil de ser totalmente desinfetada.

A boca dos gatos também possui mais bactérias nocivas ao homem, como é o caso da Pasteurella, que causa infecções. O fato dos gatos terem o hábito de lamber as patas faz com que os arranhões também sejam potencialmente perigosos, pois as unhas podem estar contaminadas por bactérias da saliva.

Sempre que houver um acidente de mordedura causada por um cão ou gato em que haja arranhões ou sangramentos, é importante fazer a imediata desinfecção do local com água e sabão e, se possível, aplicar um antisséptico. Dependendo da profundidade e gravidade da mordida, o médico pode prescrever antibióticos preventivamente.

Costuma-se dizer que a saliva do cão é cicatrizante e algumas pessoas, acreditando nisso, acham que se o cachorro da casa lamber uma ferida humana, ela cicatrizará mais rápido. Isso é um grande erro, pois o risco de contaminação por bactérias da boca do cão é muito maior do que qualquer poder cicatrizante que a saliva canina, supostamente, possa ter.

Quanto à transmissão da raiva pela mordida ou arranhão, ela só acontecerá se o animal estiver infectado com o vírus. Como a maioria dos animais domésticos é vacinada anualmente, esse risco é mínimo. Se a pessoa for mordida por um cão ou gato desconhecido, o animal deve ficar por 10 dias em observação. Se isso não for possível, é indicado que seja feito o tratamento preventivo da raiva no indivíduo que foi mordido.

Uma mordida leve de um animal da casa pode não ter qualquer consequência, como ocorre na maioria das vezes. Porém, pessoas com o sistema imunológico deprimido (Aids, tratamento de câncer, uso prolongado de cortisona), assim como idosos ou crianças muito pequenas, podem ter consequências mais graves com infecções generalizadas.

A mordedura do gato pode causar vermelhidão, inchaço e dor local em poucas horas. A infecção irá restringir-se ao local da mordida e regredir, o que ocorre na maior parte dos casos, ou progredir para sintomas generalizados com febre e mal estar (pessoas imunodeprimidas). A mordedura do cão poderá causar o mesmo, mas a chance da infecção ocorrer é sempre menor, embora essa possibilidade nunca deva ser desprezada.

Ter um animal de estimação não oferece risco algum à saúde humana desde que tomadas as medidas preventivas para evitar acidentes: manter a vacinação anti-rábica rigorosamente em dia, desinfetar imediatamente toda mordedura de animais e evitar acidentes com mordidas. Isso significa: não arriscar-se com animais bravos e, principalmente, não provocar cães e gatos.

Fonte:
Coletânea em Medicina e Cirurgia Felina
Heloisa Justen M. de Souza


Silvia C. Parisi
médica veterinária - (CRMV SP 5532)

Webanimal
www.webanimal.com.br



lado1
pixel

livro

pixel
lado2

Guia de Primeiros Socorros

Diário do Dudu
A volta ao mundo



quem somos | fale com a gente
Webanimal é marca registrada da Realty Informática Ltda.
Proibida a reprodução de artigos sem prévia autorização ©Copyright 1998 - 2014