Cadastre seu e-mail e receba informativos
Menu de artigos

 Chinchilas
 Ferrets
 Gerbils
 Hamsters
 Porquinhos da Índia
 Coelhos


Menu de serviços

 Achados e perdidos 
 Adoção
 Álbum de Fotos
 Amizades
 Cadastro de Pet Shop
 Cãorreio sentimental
 Doação
 Dogcast
 Histórias
 Página Animal
 Pesquisar estudantes
 Pesquisar veterinários
 TV Webanimal videos



Chinchilas - cuidados básicos

Chinchila

A chinchila é um mamífero de pequeno porte, medindo de 22 a 28 cm do focinho à base da cauda. Seu peso varia entre 300 a 800 g, sendo a alimentação basicamente herbívora. Possui pelagem extremamente sedosa e densa onde cada folículo possui de 80 à 100 pêlos, concedendo-lhe o título de animal com pêlo mais sedoso do mundo. São reconhecidas a chinchila Real (já extinta), a chinchila Lanígera ou standard (Chinchilla lanigera) e a chinchila caudata (Chinchilla brevicaudata).

A chinchila apresenta mutações de cores como a preta, bege, branca, marrom, prata, violeta, ou multicor.

Trata-se de um roedor exclusivo da América do Sul (Andes), de fácil criação em cativeiro, podendo atingir até 20 anos de idade. No passado, era freqüente desde o Peru até o Chile e Argentina, hoje se encontra praticamente reduzido a algumas colônias dispersas, confinadas nos mais altos cumes Andinos. No seu habitat primitivo alimentava-se apenas de ervas, cascas, folhas de arbustos.

Segundo historiadores, em 1923, algumas chinchilas foram levadas para os Estados Unidos por Mathias Chapman onde iniciou sua criação em cativeiro.

Alimentação

Atualmente a dieta da chinchila consiste em ração "peletizada" balanceada e premix (vitaminas + minerais). Eventualmente pode ser fornecido aos animais alguma fruta como maçã, pêra, uva passa, ameixa.

A água não requer nenhum tipo de tratamento, contanto que seja fresca e limpa (pode-se adicionar algum complexo vitamínico indicado por um Médico Veterinário se necessário).

Reprodução

É considerada adulta para a reprodução entre 6 e 8 meses. A ovulação ocorre a cada 28 - 30 dias com a permanência do cio de 2 a 5 dias. O cruzamento ocorre quase sempre no período noturno e após o mesmo é eliminado pela fêmea um tampão seroso (stopper), aproximadamente 3 a 4 horas mais tarde. Sua gestação é de 111 dias, tendo geralmente 2 partos anuais com o número de filhotes variando de 1 a 6.

Na mesma noite do parto a fêmea está pronta para aceitar novamente o macho (cio pós-parto) que perdura por até 36 horas e deve-se tomar o cuidado em proteger os filhotes contra um possível pisoteio dos pais, na hora da cobertura, colocando-se um cilindro (acrílico, vidro ou outro material sem extremidades cortantes) para abrigo dos filhotes; depois disto o macho deve ser retirado sendo reintroduzido somente após a desmama.

Caso o parto seja realizado em uma gaiola aberta é necessário a colocação de uma fonte externa de calor, nos primeiros dias de vida dos filhotes, como por exemplo uma lâmpada de 25 watts. A desmama geralmente ocorre aos 45 dias, variando de 30 dias para uma cria com apenas 1 filhote ou até mais de 50 dias para uma cria com 3 ou mais filhotes.

Cuidados básicos

A chinchila não toma banho com água. Ela toma o seu banho diariamente com um pó muito fino (calcita malha 100 ou pó de mármore) que tem a propriedade de limpar o pêlo absorvendo óleos e gorduras, além de ajudar a manter sua boa aparência. A chinchila pode viver em qualquer ambiente (desde que seco, bem ventilado e abrigada de sol ) pois é extremamente limpa e não desprende odores.

Os cuidados diários consistem em:

fornecer diariamente água fresca e alimentos ao animal ;

limpar diariamente a gaiola ;

colocar uma vez ao dia a banheira com cerca de 8 a 10 colheres de sopa de calcita dentro da gaiola para que o animal se banhe ;

cuidar para que o animal não fique preso na banheira ; cuidar da saúde do animal obrigando-o a se movimentar (uma chinchila saudável é alegre e ativa) ;

não deixar que a temperatura ambiente ultrapasse a 30o C , mantendo um ventilador ligado que não fique voltado diretamente para ela nos dias quentes;

evitar condições stressantes e a superalimentação que poderá acarretar distúrbios gastrentéricos.

Um animal sadio tem olhos límpidos, grandes e brilhantes, suas orelhas são eretas (exceto quando dorme), é vivaz quando perturbado e suas fezes são ovais de cor marrom ou preta.

Referências:
HARKNESS, J.; WAGNER, J. Biologia e Clínica de Coelhos e Roedores. Editora Roca, terceira edição, 1993. 238p.

HILLYER, E.; QUESENBERRY, K. Ferrets, rabbits, and rodents: clinical medicine and surgery. Philadelphia: W. B. Saunders company, 1997.

fotos: Dr. Carlos Alexandre Pessoa


Carlos Alexandre Pessoa
médico veterinário (CRMV SP
8621)
www.animalexotico.com.br

Webanimal
www.webanimal.com.br




lado1
pixel

livro

pixel
lado2
vazio

Guia de Primeiros Socorros

Diário do Dudu
A volta ao mundo



quem somos | fale com a gente
Webanimal é marca registrada da Realty Informática Ltda.
Proibida a reprodução de artigos sem prévia autorização ©Copyright 1998 - 2014