Cadastre seu e-mail e receba informativos
Menu de Artigos

 Guia para iniciantes
 Guia para o dono
 Adestramento
 Castração
 Cães de trabalho
 Cães famosos
 Cães pelo mundo
 Campanha anti-caca
 Cinofilia/criação
 Comportamento
 Cuidados gerais
 Dermatologia
 Diagnósticos
 Doenças
 Dogcast (podcast)
 Dúvidas frequentes
 Entidades protetoras
 Fotografia animal
 Gente que faz
 Geriatria
 Legislação
 Medicina Veterinária
 Nutrição
 Odontologia
 Oncologia
 Operação anti caca
 Parasitas
 Primeiros socorros
 Posse responsável
 Proteção animal
 Raças populares
 Raças interessantes
 Reprodução
 Teste seu Cão
 Tratamentos
 Zoonoses


Menu de Serviços

 Achados e perdidos 
 Adoção
 Álbum de Fotos
 Amizades
 Cadastro de Pet Shop
 Cãorreio sentimental
 Doação
 Dogcast
 Histórias
 Página Animal
 Pesquisar estudantes
 Pesquisar veterinários
 TV Webanimal videos



Torção de estômago nos cães

Torção Gástrica

Uma ocorrência comum em raças de grande porte, porém desconhecida pelos proprietários, é o complexo dilatação - torção de estômago ou torção gástrica. Se o cão ingerir uma grande quantidade de comida ou água em uma refeição, o estômago poderá se dilatar e girar sobre o seu eixo, causando obstrução nas saídas gástrica e intestinal. O alimento ficará retido e o cão não conseguirá esvaziar o estômago, seja pelo vômito ou pela via intestinal.

O proprietário irá notar um aumento de volume crescente do abdômen do cão, causado pela fermentação do alimento e formação de gases. A respiração é ofegante e o animal sente um grande desconforto com a dilatação do abdômen. A circulação sanguínea em diversos órgãos ficará comprometida. A absorção dos gases resultantes da fermentação do alimento causará intoxicação.

Quando o cão é atendido na clínica com um grande aumento abdominal, uma sonda gástrica deverá ser introduzida pela boca até o estômago. Se não houver torção, consideramos que houve apenas dilatação do estômago. Se a sonda não passar, isso confirmará o diagnóstico de torção e a cirurgia de emergência se fará necessária. Caso a cirurgia não seja feita a tempo, o cão rapidamente entrará em choque (falta de circulação nos órgãos e toxinas absorvidas) e poderá morrer.

A dilatação e consequente torção gástrica podem ser evitadas alimentando-se as raças grandes duas ou mais vezes ao dia. A quantidade ingerida será menor e os riscos de torção diminuirão. Não passeie, exercite ou estimule seu cão a brincar ou pular após as refeições. Evite a ingestão exagerada de água, após exercício ou em dias de calor extremo em animais de raças grandes ou não. Animais grandes que se alimentam com ração, não devem beber água até uma hora após a refeição para evitar a fermentação do alimento.


Silvia C. Parisi
médica veterinária - (CRMV SP 5532)

Webanimal
www.webanimal.com.br





lado1
pixel

livro

pixel
lado2
vazio

Guia de Primeiros Socorros

Diário do Dudu
A volta ao mundo



quem somos | fale com a gente
Webanimal é marca registrada da Realty Informática Ltda.
Proibida a reprodução de artigos sem prévia autorização ©Copyright 1998 - 2014