Cadastre seu e-mail e receba informativos
Menu de Artigos

 Guia para iniciantes
 Guia para o dono
 Adestramento
 Castração
 Cães de trabalho
 Cães famosos
 Cães pelo mundo
 Campanha anti-caca
 Cinofilia/criação
 Comportamento
 Cuidados gerais
 Dermatologia
 Diagnósticos
 Doenças
 Dogcast (podcast)
 Dúvidas frequentes
 Entidades protetoras
 Fotografia animal
 Gente que faz
 Geriatria
 Legislação
 Medicina Veterinária
 Nutrição
 Odontologia
 Oncologia
 Operação anti caca
 Parasitas
 Primeiros socorros
 Posse responsável
 Proteção animal
 Raças populares
 Raças interessantes
 Reprodução
 Teste seu Cão
 Tratamentos
 Zoonoses


Menu de Serviços

 Achados e perdidos 
 Adoção
 Álbum de Fotos
 Amizades
 Cadastro de Pet Shop
 Cãorreio sentimental
 Doação
 Dogcast
 Histórias
 Página Animal
 Pesquisar estudantes
 Pesquisar veterinários
 TV Webanimal videos



Piometra - infecção uterina em cães e gatos

Piometra

É uma infecção uterina que acomete cadelas a partir dos 5 anos de idade, mas que pode aparecer em fêmeas mais jovens. A freqüência da doença é maior em cadelas que nunca tiveram cria, daí o equivocado dito popular: "cadela que nunca cruzou terá câncer no útero". Na verdade, a piometra (e não o câncer) pode aparecer mais facilmente em cadelas que nunca criaram, porém, temos visto que também cadelas que já tiveram cria podem ter piometra.

Assim, acasalar uma fêmea no intuito de prevenir a infecção uterina (piometra), certamente não é um método 100% eficaz.

Os sinais da doença aparecem, geralmente, um mês após o último cio. A cadela pára de comer, parece triste, tem febre, aumenta a ingestão de água e, conseqüentemente, a produção de urina. Apresenta vômitos. Um corrimento vaginal abundante, espesso, de odor desagradável e cor parda ou acastanhado, é um sinal bastante característico da piometra. Os locais onde a fêmea senta ficam manchados pela secreção. Muitas cadelas lambem insistentemente a região genital e o proprietário não percebe o corrimento. Em alguns casos que denominamos "piometra fechada", esse corrimento não aparece, o que dificulta o diagnóstico.

O útero com piometra apresenta-se repleto de secreção, aumenta muito de tamanho e o organismo começa a absorver o conteúdo purulento (pus), levando o animal a uma intoxicação pelas toxinas bacterianas. Se diagnosticada a tempo, a piometra tem tratamento cirúrgico que consiste na remoção do útero (castração), associada a uma terapia com antibióticos. O diagnóstico é feito pelos sinais clínicos, exames laboratoriais (hemograma) e ultra-sonografia do útero para confirmação do diagnóstico. Encaminhar o animal para a cirurgia imediatamente.

A recuperação é rápida após a cirurgia, pois o foco da infecção é retirado.

Como o sinal clínico mais evidente é o corrimento, o proprietário de fêmeas com mais de cinco anos deve ficar atento e comunicar o veterinário se notar essa alteração. É bom ressaltar, mais uma vez, que fêmeas que já acasalaram NÃO estão livres da piometra. O melhor método preventivo é a castração das cadelas logo após o 1o cio.


Silvia C. Parisi
médica veterinária - (CRMV SP 5532)

Webanimal
www.webanimal.com.br





lado1
pixel

livro

pixel
lado2
vazio

Guia de Primeiros Socorros

Diário do Dudu
A volta ao mundo



quem somos | fale com a gente
Webanimal é marca registrada da Realty Informática Ltda.
Proibida a reprodução de artigos sem prévia autorização ©Copyright 1998 - 2014