Cadastre seu e-mail e receba informativos
Menu de Artigos

 Guia para iniciantes
 Guia para o dono
 Adestramento
 Castração
 Cães de trabalho
 Cães famosos
 Cães pelo mundo
 Campanha anti-caca
 Cinofilia/criação
 Comportamento
 Cuidados gerais
 Dermatologia
 Diagnósticos
 Doenças
 Dogcast (podcast)
 Dúvidas frequentes
 Entidades protetoras
 Fotografia animal
 Gente que faz
 Geriatria
 Legislação
 Medicina Veterinária
 Nutrição
 Odontologia
 Oncologia
 Operação anti caca
 Parasitas
 Primeiros socorros
 Posse responsável
 Proteção animal
 Raças populares
 Raças interessantes
 Reprodução
 Teste seu Cão
 Tratamentos
 Zoonoses


Menu de Serviços

 Achados e perdidos 
 Adoção
 Álbum de Fotos
 Amizades
 Cadastro de Pet Shop
 Cãorreio sentimental
 Doação
 Dogcast
 Histórias
 Página Animal
 Pesquisar estudantes
 Pesquisar veterinários
 TV Webanimal videos



Intoxicação por "chumbinho" e outros raticidas

As intoxicações em animais de estimação são bastante comuns, sejam elas acidentais ou criminosas. O veneno mais frequente envolvido nesses casos é o "chumbinho", um poderoso tóxico que é comercializado ilegalmente. O "chumbinho" também é conhecido em algumas regiões como "raticida Japan" ou "mil gatos", por seu uso no combate aos roedores. Como o próprio nome popular diz, ele é tão eficaz na eliminação de ratos como a ação de "mil gatos".

Exageros à parte, realmente o "chumbinho" possui o mais tóxico dos venenos de sua categoria (carbamatos), porém, sua eficácia no combate às colônias de ratos é discutível. Isso porque, na hierarquia dos roedores, quem come primeiro são os ratos mais idosos. Os outros, vendo os mais velhos morrerem, não se aproximam mais das iscas envenenadas. Ponto para os ratos!

O "chumbinho" leva esse nome pela sua cor (cinza escuro) e formato (granulado), não tendo nenhuma relação com o metal chumbo. Sua composição tem como princípio ativo o aldicarb, um inseticida usado na agricultura para o controle de pragas. Desviado de seu uso original, o aldicarb é vendido ilegalmente, à granel, com o nome de "chumbinho", para o combate de roedores. Seja pelos prejuízos que causam, doenças que transmitem ou apenas pela sua aparência repugnante para a maioria das pessoas, ninguém quer ter ratos por perto.

No entanto, a venda descontrolada e a falta de conhecimento sobre o poder tóxico do produto causa envenenamento em animais de estimação, adultos e crianças. Muitas pessoas e animais já morreram por causa do "chumbinho", que pode ser ingerido ou absorvido pela pele quando diluído em água. Ter um produto desses em casa é extremamente perigoso por ele não ter cheiro ou sabor. A curiosidade pelo formato de grãos leva crianças e animais à sua ingestão. São essas as principais vítimas fatais do "chumbinho".

Embora a substância principal seja o aldicarb, o "chumbinho" pode conter outros inseticidas (organofosforados) associados para potencializar sua ação.

O efeito do "chumbinho" em animais é bem rápido, aparecendo 5 a 10 minutos após a ingestão. Os sinais irão depender do tamanho do animal e da quantidade ingerida. Grandes quantidades podem causar morte súbita. Os sinais de intoxicação podem ser vários: salivação (o animal começa a babar), vômitos, diarreia, convulsão, inquietação ou prostração, incoordenação, tremores, falta de ar (dispneia), hemorragia oral ou nasal, fraqueza, pupilas contraídas, etc.. O veneno causa lesões nos pulmões, fígado e rins.

Um ou mais sintomas, associados ao histórico de uso de raticida "chumbinho" no ambiente é um alerta para levar o animal a uma clínica veterinária imediatamente. O fato do cão ou gato ter ingerido ou lambido um rato morto ou agonizante já é um alerta para a possibilidade de intoxicação. Fique atento!

Os gatos estão entre as vítimas fatais do "chumbinho", pois muitos deles saem para passear à noite, ingerem iscas com o veneno e são encontrados mortos pela manhã. O efeito do tóxico é muito rápido. Quem coloca propositadamente iscas com "chumbinho" (ou qualquer outro veneno) para matar o cão ou gato do vizinho não sabe que pode ser preso, pois infringe a Lei Ambiental! Além dele próprio estar correndo riscos pela manipulação e estocagem do produto.

Animais intoxicados são tratados com lavagem estomacal (até 2h após ingestão), sulfato de atropina para conter a maioria dos sinais causados pelo aldicarb, soroterapia para eliminar mais rápido o veneno, anti-hemorrágico, anticonvulsivantes, carvão ativado para evitar a absorção do tóxico pelo organismo, etc..

Além do "chumbinho", outros raticidas muito perigosos são utilizados e comercializados livremente. É o caso dos anticoagulantes, que causam hemorragias. A sua ingestão ocasiona sangramentos generalizados e levam à morte.

É verdade que os ratos podem transmitir doenças (a principal delas, a leptospirose), roer forros e embalagens de grãos, defecar pela casa e quintal, dentre outros transtornos que podem causar. No entanto, o uso de venenos como o "chumbinho" é extremamente arriscado.

É crime comercializar o produto, e quem compra também está cometendo uma contravenção. Contra os ratos, evite acumular lixo e pense em outras alternativas ao uso de venenos, como o controle biológico. Crie 1 ou 2 gatos castrados (do contrário eles irão fugir!) em sua propriedade e você ficará livre dos roedores! Lembrando que gatos podem conviver perfeitamente com cães.

Veja também:
- Intoxicações comuns
- Intoxicação por chocolate
- Diagnóstico de intoxicações


Silvia C. Parisi
médica veterinária - (CRMV SP 5532)

Webanimal
www.webanimal.com.br





lado1
pixel

livro

pixel
lado2
vazio

Guia de Primeiros Socorros

Diário do Dudu
A volta ao mundo



quem somos | fale com a gente
Webanimal é marca registrada da Realty Informática Ltda.
Proibida a reprodução de artigos sem prévia autorização ©Copyright 1998 - 2014