/ DNA de cães e gatos - Webanimal.com.br
 

 
   

Cadastre seu e-mail e receba informativos


Menu de Artigos

 Guia para iniciantes
 Guia avançado
 Adestramento
 Castração
 Cães de trabalho
 Cães famosos
 Cães pelo mundo
 Campanha anti-caca
 Cinofilia/criação
 Comportamento
 Cuidados gerais
 Dermatologia
 Diagnósticos
 Doenças
 Dogcast (podcast)
 Dúvidas frequentes
 Entidades protetoras
 Fotografia animal
 Gente que faz
 Geriatria
 Legislação
 Medicina Veterinária
 Nutrição
 Odontologia
 Oncologia
 Operação anti-caca
 Parasitas
 Primeiros socorros
 Posse responsável
 Proteção animal
 Raças populares
 Raças interessantes
 Reprodução
 Teste seu Cão
 Tratamentos
 Zoonoses


Menu de Serviços

 Achados e perdidos 
 Adoção
 Álbum de Fotos
 Amizades
 Cadastro de Pet Shop
 Cãorreio sentimental
 Doação
 Dogcast
 Histórias
 Página Animal
 Pesquisar estudantes
 Pesquisar veterinário
 TV Webanimal/Videos



Teste de dna: o que ele pode nos dizer

Quando falamos em DNA, logo nos vem à cabeça o famoso teste para a comprovação de paternidade. Poucos sabem que existem outras práticas importantes no estudo do DNA.

Uma das mais recentes aplicações da tecnologia do DNA é um avançado método de diagnóstico e pesquisa das doenças que ocorrem nos animais de estimação. É um método com garantia de resultados seguros, sem problemas de falso-positivo ou negativo.

O teste é tão sensível que é possível o diagnóstico mesmo sem o animal apresentar os sintomas da doença. Patologias como cinomose, leptospirose, leishmaniose e parvovirose, entre outras, podem ser diagnosticadas em 48 horas, graças à análise de material genético.

Outro recente estudo que provocou uma grande euforia nos círculos científicos foi realizado no centro de pesquisa de Câncer Fred Hutchinson em Seattle, nos Estados Unidos. Foram colhidas amostras da mucosa da boca de cerca de 400 cães de raças diferentes e, comparando os respectivos DNAs, os pesquisadores concluíram que os cães de raça puros têm padrões genéticos distintos.

Sendo assim, agora é fácil saber se o animal pertence a uma nobre estirpe ou se não passa de um autêntico vira-lata. Um exame pode dizer com uma precisão de 99% de segurança a origem do animal.

A pesquisadora Elaina Ostrander, pioneira no estudo de genomas dos cachorros, publicou no dia 20 de maio de 2004, na revista Science, a sua pesquisa. O estudo classificou os cães em 4 grupos:

Um grupo inclui Mastiffs, Buldogues e Pastores Alemães que para surpresa são parentes próximos de Bull Mastiffs, Rottweilers e Boxers.

Outro grupo tem Collies, Sheltland, Sheepdogs, Grayhounds e São Bernardo.

O terceiro maior grupo engloba cães de origem européia recente, como Terriers, Pointers e Retrievers.

O quarto grupo que reúne os animais de raças mais antigas e de provável origem comum na Ásia e África, traz Chow-chow, Huskies Siberians e Lhasa-Apso.


Roberto Migliano Monteleone
médico veterinário (CRMV SP 1833)
www.clinicaveterinaria.com.br

FONTES:
Revista Science
Pesquisa Fapesp 101 Julho 2004-10-02.
Genoa Veterinária diagnósticos

Webanimal
www.webanimal.com.br

versão para imprimir




Livro sobre cães
lado1
pixel

Livro Crônicas para ler com seu cachorro

pixel
lado2
vazio

Guia de Primeiros Socorros

Diário do Dudu
A volta ao mundo




quem somos | fale com a gente
Webanimal é marca registrada da Realty Informática Ltda.
Proibida a reprodução de artigos sem prévia autorização ©Copyright 1998 - 2016