/ Cálculos urinários em cães - Webanimal.com.br
 

 
   

Cadastre seu e-mail e receba informativos


Menu de Artigos

 Guia para iniciantes
 Guia avançado
 Adestramento
 Castração
 Cães de trabalho
 Cães famosos
 Cães pelo mundo
 Campanha anti-caca
 Cinofilia/criação
 Comportamento
 Cuidados gerais
 Dermatologia
 Diagnósticos
 Doenças
 Dogcast (podcast)
 Dúvidas frequentes
 Entidades protetoras
 Fotografia animal
 Gente que faz
 Geriatria
 Legislação
 Medicina Veterinária
 Nutrição
 Odontologia
 Oncologia
 Operação anti-caca
 Parasitas
 Primeiros socorros
 Posse responsável
 Proteção animal
 Raças populares
 Raças interessantes
 Reprodução
 Teste seu Cão
 Tratamentos
 Zoonoses


Menu de Serviços

 Achados e perdidos 
 Adoção
 Álbum de Fotos
 Amizades
 Cadastro de Pet Shop
 Cãorreio sentimental
 Doação
 Dogcast
 Histórias
 Página Animal
 Pesquisar estudantes
 Pesquisar veterinário
 TV Webanimal/Videos



Cálculos urinários

Cálculos Urinários

Os cálculos urinários ou urólitos ("pedras" - foto) ocorrem com frequência em cães e se formam na bexiga e uretra. Os cálculos localizados dentro dos rins ("pedra no rim") são bem mais raros. A formação do cálculo se dá a partir do aparecimento de cristais na urina. Esses cristais podem ter diversas composições (uratos, oxalato de cálcio, fosfato triplo, sílica e cistina). Por fatores ainda não totalmente conhecidos, os cristais começam a se agrupar formando o cálculo.

Além de uma predisposição ("tendência") que alguns animais têm em formar os urólitos, existem fatores que contribuem para o aparecimento deles. Entre eles estão: infecções urinárias, deficiência de vitamina A, dieta alimentar e retenção de urina. Neste último caso, cães que não urinam dentro de casa devem ser levados para a rua pelo menos 3 vezes ao dia para que não retenham a urina por muitas horas.

A idade em que os cálculos aparecem com maior frequência está entre 1 e 6 anos. É mais comum em machos.

Um vez formado o cálculo, o animal pode apresentar um ou mais sinais clínicos. Os mais comuns são: sangue na urina, dificuldade de urinar (gotejamento de urina), não conseguir urinar (obstrução das vias urinárias), dor abdominal, apatia e falta de apetite.

O diagnóstico dos cálculos urinários pode ser feito pela simples palpação da bexiga (diagnóstico de cálculos grandes) e histórico do animal, mas é interessante proceder a exames complementares como ultrassonografia, raio X e exame de urina.

O tratamento é cirúrgico, pois, normalmente, o cálculo é muito grande, há uma obstrução completa das vias urinárias (se o animal não consegue urinar) ou há uma grande quantidade de cálculos. Há raros casos em que o animal consegue expelir a 'pedra', mas isso demanda de tempo e muito sofrimento.

Após retirado, o cálculo deve ser analisado para se conhecer a sua composição. A partir daí, será instituída uma terapia para prevenção do aparecimento de novas "pedras". O pH urinário deve ser ajustado (dependendo da composição do urólito), a dieta controlada e a ingestão de água deve ser estimulada para que sempre haja um grande fluxo de urina, evitando-se assim a chance dos cristais se unirem novamente. Antibióticos também são usados.

Os animais que já tiveram cálculos ou são predispostos ao seu aparecimento (apresentam cristais na urina) devem fazer o tratamento preventivo e serem monitorados através de exames de urina frequentes.

foto:Dr. Marcos E. Fernandes



Livro recomendado:

Como cuidar melhor do seu cachorro!

silvia
Silvia Parisi
médica veterinária (CRMV SP 5532)

Webanimal
www.webanimal.com.br




Livro sobre cães
lado1
pixel

Livro Crônicas para ler com seu cachorro

pixel
lado2
vazio

Guia de Primeiros Socorros

Diário do Dudu
A volta ao mundo




quem somos | fale com a gente
Webanimal é marca registrada da Realty Informática Ltda.
Proibida a reprodução de artigos sem prévia autorização ©Copyright 1998 - 2016