/ Bicho geográfico no cão - como tratar - Webanimal.com.br
 

 
   

Cadastre seu e-mail e receba informativos


Menu de Artigos

 Guia para iniciantes
 Guia avançado
 Adestramento
 Castração
 Cães de trabalho
 Cães famosos
 Cães pelo mundo
 Campanha anti-caca
 Cinofilia/criação
 Comportamento
 Cuidados gerais
 Dermatologia
 Diagnósticos
 Doenças
 Dogcast (podcast)
 Dúvidas frequentes
 Entidades protetoras
 Fotografia animal
 Gente que faz
 Geriatria
 Legislação
 Medicina Veterinária
 Nutrição
 Odontologia
 Oncologia
 Operação anti-caca
 Parasitas
 Primeiros socorros
 Posse responsável
 Proteção animal
 Raças populares
 Raças interessantes
 Reprodução
 Teste seu Cão
 Tratamentos
 Zoonoses


Menu de Serviços

 Achados e perdidos 
 Adoção
 Álbum de Fotos
 Amizades
 Cadastro de Pet Shop
 Cãorreio sentimental
 Doação
 Dogcast
 Histórias
 Página Animal
 Pesquisar estudantes
 Pesquisar veterinário
 TV Webanimal/Videos



Bicho geográfico

Bicho Geográfico
(Bicho Geográfico, Larva Migrans Cutânea ou dermatite serpiginosa)

A doença de pele chamada "bicho geográfico", que ocorre no ser humano, é causada por um parasita (Ancylostoma braziliense, Ancylostoma caninum, A. stenocephaloa ou Gnathostoma spinigirum) que habita o intestino dos cães e gatos que não são vermifugados periodicamente.

Os animais defecam nas areias, na terra ou nas praças, e os ovos dos vermes se espalham nesses locais.

Esses ovos, em presença de calor e umidade, se transformam em larvas que ficam à espera de um hospedeiro, ou seja, um local apropriado onde possam viver.

Quando as pessoas sentam ou pisam em um local infestado, as larvas perfuram o extrato epitelial (pele), mas não conseguem atravessar as camadas mais profundas. Porém, elas se mantém vivas por longo tempo, e passam a caminhar ao acaso, abrindo túneis microscópicos na pele. Essa penetração é comum de ocorrer nos pés e pernas das pessoas.

O tempo do processo pode variar de poucos dias a meses. O sintoma que mais incomoda é a coceira, que à noite chega a ser mais intensa, provocando até insônia.

O diagnóstico da doença no ser humano é fácil, devido ao aspecto dermatológico que a lesão causa. Os túneis causados pelas larvas são visíveis e esses "rastros" dão à pele a aparência do traçado de um "mapa", daí o nome "bicho geográfico". Clique aqui para ver imagens das lesões na pele humana.

Em geral, os antecedentes mais sugestivos são o contato com terrenos arenosos, praias e tanques de areia frequentados por cães e gatos. Por esse motivo, evite andar descalço ou sentar-se sem proteção sobre esses locais.

O tratamento consiste no uso de pomadas locais, porém, nas lesões mais extensas, ele é complementado com medicamentos por via oral.

É responsabilidade dos proprietários de cães coletarem as fezes de seus animais, onde quer que seja. É muito importante também vermifugar os animais periodicamente, no mínimo, uma vez por ano. Fezes de animais infestados de vermes que não são recolhidas causarão parasitose em outros cães e gatos, e "bicho geográfico" no ser humano.

Vermifugue seu animal de estimação e recolha sempre as fezes dele! Isso é importante para a saúde de todos.

Veja também:

- Campanha anti caca
- Vermes em cães e gatos


Renato Borges Nicolau
médico veterinário (CRMV-SP 18235)
Late & Mia Clínica Veterinária

Webanimal
www.webanimal.com.br




Livro sobre cães
lado1
pixel

Livro Crônicas para ler com seu cachorro

pixel
lado2
vazio

Guia de Primeiros Socorros

Diário do Dudu
A volta ao mundo




quem somos | fale com a gente
Webanimal é marca registrada da Realty Informática Ltda.
Proibida a reprodução de artigos sem prévia autorização ©Copyright 1998 - 2016