Cadastre seu e-mail e receba informativos
Menu de Artigos

 Guia para iniciantes
 Guia para o dono
 Adestramento
 Castração
 Cães de trabalho
 Cães famosos
 Cães pelo mundo
 Campanha anti-caca
 Cinofilia/criação
 Comportamento
 Cuidados gerais
 Dermatologia
 Diagnósticos
 Doenças
 Dogcast (podcast)
 Dúvidas frequentes
 Entidades protetoras
 Fotografia animal
 Gente que faz
 Geriatria
 Legislação
 Medicina Veterinária
 Nutrição
 Odontologia
 Oncologia
 Operação anti caca
 Parasitas
 Primeiros socorros
 Posse responsável
 Proteção animal
 Raças populares
 Raças interessantes
 Reprodução
 Teste seu Cão
 Tratamentos
 Zoonoses


Menu de Serviços

 Achados e perdidos 
 Adoção
 Álbum de Fotos
 Amizades
 Cadastro de Pet Shop
 Cãorreio sentimental
 Doação
 Dogcast
 Histórias
 Página Animal
 Pesquisar estudantes
 Pesquisar veterinários
 TV Webanimal videos



Babesiose

Babesiose

A Babesiose, também conhecida como Nambiuvú em algumas regiões do Brasil, é uma doença causada por protozoário (Babesia). Ela não transmissível ao homem. Protozoário é um tipo de microorganismo, assim como são as bactérias e os vírus. A transmissão dessa doença para o cão se dá pela picada de carrapatos infectados (Rhipicephalus sanguineus). 

O carrapato pica um cachorro doente, se infecta e vai picar um cão sadio, transmitindo assim a babesiose. A Babesia aloja-se nos glóbulos vermelhos do sangue (hemácias), local onde se multiplica.

Após a multiplicação da Babesia dentro das células sanguíneas, ocorre o rompimento desses glóbulos (momento em que ocorre febre) e os parasitas vão se alojar em novas células.

A destruição de um grand
e número de células vermelhas causará anemia. Assim, um cão doente apresentará sinais como: perda de apetite, desânimo, apatia, icterícia (amarelão) ou palidez nas mucosas (gengivas e interior das pálpebras), típicos de um animal anêmico.


Carrapatos

O diagnóstico é feito através dos sintomas, histórico de infestação por carrapatos e exame de sangue que detectará o parasita (pesquisa de hematozoários - parasitas que infectam as hemácias).

O tratamento é eficaz e a mortalidade é baixa quando o cão é tratado a tempo. Ele pode recuperar-se totalmente, sem sequelas. Em alguns casos, é necessária transfusão sanguínea quando o quadro de anemia é bastante grave. Embora o cão fique curado, nada impede dele ter a doença outras vezes se for picado por um carrapato contaminado. Por isso, o controle do carrapato é importantíssimo para evitar a doença.

Não existe vacina que proteja o cão contra a babesiose, daí a importância de evitar os carrapatos no cão, mesmo sabendo que nem todos estão infectados para transmitir a doença. Basta apenas um deles estar.

Livro recomendado:

Como cuidar melhor do seu cachorro!

Veja também:

-
Erlichiose, outra doença transmitida pelo carrapato
- Febre maculosa
- Como controlar os carrapatos


silvia
Silvia Parisi
médica veterinária (CRMV SP 5532)

Webanimal
www.webanimal.com.br





lado1
pixel

livro

pixel
lado2
vazio

Guia de Primeiros Socorros

Diário do Dudu
A volta ao mundo



quem somos | fale com a gente
Webanimal é marca registrada da Realty Informática Ltda.
Proibida a reprodução de artigos sem prévia autorização ©Copyright 1998 - 2015