/ Florais de Bach para cães - ansiedade por separação - Webanimal.com.br
 

 
   

Cadastre seu e-mail e receba informativos


Menu de Artigos

 Guia para iniciantes
 Guia avançado
 Adestramento
 Castração
 Cães de trabalho
 Cães famosos
 Cães pelo mundo
 Campanha anti-caca
 Cinofilia/criação
 Comportamento
 Cuidados gerais
 Dermatologia
 Diagnósticos
 Doenças
 Dogcast (podcast)
 Dúvidas frequentes
 Entidades protetoras
 Fotografia animal
 Gente que faz
 Geriatria
 Legislação
 Medicina Veterinária
 Nutrição
 Odontologia
 Oncologia
 Operação anti-caca
 Parasitas
 Primeiros socorros
 Posse responsável
 Proteção animal
 Raças populares
 Raças interessantes
 Reprodução
 Teste seu Cão
 Tratamentos
 Zoonoses


Menu de Serviços

 Achados e perdidos 
 Adoção
 Álbum de Fotos
 Amizades
 Cadastro de Pet Shop
 Cãorreio sentimental
 Doação
 Dogcast
 Histórias
 Página Animal
 Pesquisar estudantes
 Pesquisar veterinário
 TV Webanimal/Videos



Ansiedade por separação - cães

Ansiedade por separação

Jackline Pinto é veterinária e utiliza Florais de Bach para tratar diversos transtornos de comportamento em animais. Ela explica como os cães se sentem e se comportam em situações de separação momentânea do dono e dá dicas para resolver o problema.

Solidão, depressão, saudades? Será que os cães sentem isso?


"Tenho uma maltêsa chamada Kika, ela é linda, um docinho, mas não suporta ficar sozinha. Entra em desespero só de me ver pegando a bolsa ou a chave. O que posso fazer para ajudá-la?".

Diante dessa situação, muitos fatores secundários desagradam o proprietário, como latidos constantes, destruição, urina e fezes em locais indevidos, lambedura das patas sem causa física, entre outros. O mais grave é que esse cãozinho pode estar desenvolvendo uma doença comportamental chamada “Ansiedade de Separação”, que deve ser tratada o mais urgente possível.

O que é  “Ansiedade de Separação”?

É uma doença emocional muito comum nos cães e ocorre, principalmente, pela não aceitação da situação de solidão. Os principais sintomas são:

- Comportamentos destrutivos: roer móveis, destruir objetos, móveis, paredes, portas e janelas dos donos;
- Lambedura excessiva das patas;
- Depressão, nostalgia, tristeza, falta de apetite e letargia;
- Latidos constantes, uivos e choros, que tanto incomodam os vizinhos;
- Urinar e defecar em locais indevidos.

Como tirar o animal dessa triste situação?

Coloque limites 
Crie uma rotina para seu cão. Coloque a ração nos horários corretos, não deixe alimentação à vontade. Ensine-o a urinar e defecar no local certo.
 
Elogios/Punição: elogie e presenteie os acertos. Punição somente com tom de voz forte ou spray com água no rosto. Isso só é valido para a punição feita na hora "H". Se feita depois, é muito prejudicial. Mantenha sempre a palavra, não puna e agrade depois.
 
Seja forte, não sinta-se culpado por deixar o animal em casa
sozinho, ele deverá se acostumar com a rotina da casa e não a casa com a rotina dele.

Ele vai latir demais...
O latido realmente incomoda e os cães são tão espertos que sabem que ganham o dono no latido. Portanto, seja mais inteligente que ele, ignore o latido. Ele, percebendo que não consegue o que quer, não será estimulado e gradativamente deixará de latir.

 Não faça festa para o animal quando chegar em casa
Isso é o mais difícil nesse processo, mas precisamos fazer esse esforço para não estimularmos o comportamento ansioso da espera. Portanto, devemos fazer carinho no animal somente após a euforia dele ter passado: entre em casa, disfarce, vá para o quarto ou banheiro. Somente depois que ele estiver calmo faça carinho, converse com ele.

 Um bom exercício para diminuir o comportamento de espera:
Diga “Já volto” e saia. Se ausente por 5 minutos. Volte, ignore o animal até ele ficar calmo e tranquilo, depois faça carinho. Depois de 30 minutos...

Diga “Já volto” e saia. Se ausente por 10 minutos. Volte, ignore o animal até este ficar calmo e tranquilo, depois faça um carinho. Depois de 1 hora...

Diga “Já volto” e saia. Se ausente por 30 minutos. Volte, ignore o animal até este ficar calmo e tranquilo, depois faça um carinho. Depois de 2 horas... 

Diga “Já volto” e saia. Se ausente por 2 horas. Volte, ignore o animal até este ficar calmo e tranquilo, depois faça um carinho.
 
Repita esses exercícios durante 5 dias consecutivos e vá aumentando os espaços de tempo até chegar no horário necessário para que este fique só e bem equilibrado.

Quando sair: deixe o animal com uma camisa sua usada, ao som de um rádio, com uma luz acesa na casa. Deixe também brinquedos diferentes ou ossos para que ele se distraia.

Dedique um tempo para vocês: um tempo prazeroso, para que ele sinta que, apesar das mudanças, continua sendo muito amado. Que tal dois passeios por dia? Pode ser só por 20 minutinhos.

O mais importante: não esqueça de dar o “Floral de Bach. Ele fará com que o animal passe por todo esse processo de uma forma tranquila, sem traumas e sem estresse.

O cão irá aprender a ficar em casa tranquilamente, sem a dependência da figura do proprietário. Mas o básico não pode ser esquecido: NÃO faça festinha ao chegar em casa, pois isso estimula o comportamento de espera do animal o dia inteiro. Depois que o cão se acalmar, faça um carinho, mas nada exagerado. Não esqueça: tudo é para o bem dele. Cães não têm noção de tempo, por isso não se sinta culpado em deixá-lo só.

Se o seu animal fica com raiva por ter sido deixado sozinho, temos uma outra situação bem diferente, podendo até mesmo se encaixar no quadro de cães dominantes.

O tratamento com Florais de Bach no cão pode precisar ser acompanhado pelo tratamento do dono, para diminuir a ansiedade, impaciência e até sensação de culpa por achar que o animal está sofrendo.


Jackline Pinto
Médica veterinária (CRMV SP 9611)
Autora do livro "Florais para Cães"
www.floraisparacaes.blogspot.com

Webanimal
www.webanimal.com.br




Livro sobre cães
lado1
pixel

Livro Crônicas para ler com seu cachorro

pixel
lado2
vazio

Guia de Primeiros Socorros

Diário do Dudu
A volta ao mundo




quem somos | fale com a gente
Webanimal é marca registrada da Realty Informática Ltda.
Proibida a reprodução de artigos sem prévia autorização ©Copyright 1998 - 2016