/ Eu adotei um cão abandonado - Webanimal.com.br
 

 
   

Cadastre seu e-mail e receba informativos


Menu de Artigos

 Guia para iniciantes
 Guia avançado
 Adestramento
 Castração
 Cães de trabalho
 Cães famosos
 Cães pelo mundo
 Campanha anti-caca
 Cinofilia/criação
 Comportamento
 Cuidados gerais
 Dermatologia
 Diagnósticos
 Doenças
 Dogcast (podcast)
 Dúvidas frequentes
 Entidades protetoras
 Fotografia animal
 Gente que faz
 Geriatria
 Legislação
 Medicina Veterinária
 Nutrição
 Odontologia
 Oncologia
 Operação anti-caca
 Parasitas
 Primeiros socorros
 Posse responsável
 Proteção animal
 Raças populares
 Raças interessantes
 Reprodução
 Teste seu Cão
 Tratamentos
 Zoonoses


Menu de Serviços

 Achados e perdidos 
 Adoção
 Álbum de Fotos
 Amizades
 Cadastro de Pet Shop
 Cãorreio sentimental
 Doação
 Dogcast
 Histórias
 Página Animal
 Pesquisar estudantes
 Pesquisar veterinário
 TV Webanimal/Videos



Adoção de animais abandonados

Eu adotei um cão abandonado!

"O cão Dino foi adotado no Centro de Controle de Zoonoses de São Paulo. Esse cão, além de ser extremamente dócil, é muito inteligente (entre outras atividades de cunho artístico ou lúdico, ele canta, abre janelas, atende à campainha, sabe o nome de todos os brinquedos), forte e resistente às doenças, e também muito belo. Nunca fez nada de errado (já veio sabendo) e é sempre parado na rua devido à sua beleza ímpar. Restavam apenas 3 dias de vida para o cão Dino quando ele foi adotado. Agora, ele vive muito bem!" (Flávio Marchesin)

"Adotei uma cachorra idosa através do site. Com certeza ela tem mais de 8 anos, tem catarata avançadíssima no olho direito e uma já caminhando no outro olho. Preta é super carinhosa, dócil e educada, só faz as necessidades na área de serviço. Não late, não avança na minha outra cachorra, adora passear, come muito bem, e, enfim, parece que sempre esteve comigo. Eu tenho um carinho "enoooooorme" por ela. Fico super feliz quando chego em casa. Quando ela percebe, vem correndo fazer a festa. Quando passeamos, eu solto a coleira e corremos juntas na praça. Incentivo a todos a não terem medo de adotar um cão adulto. Eles são carentes e cheios de amor para nos dar." (Rosemeire Martins)


O aumento da população de cães de rua é assustador e parece ser um problema insolúvel. A maioria deles são cães vira-latas (SRD - sem raça definida), mestiços e até cachorros de raça. Isso sem falar nos gatos. Os animais apreendidos pelos Centros de Controle de Zoonoses (CCZ), a temida "carrocinha", têm destino incerto. Esses centros que acolhem os animais das rua não têm condições de manter tantos cães, nem instalações apropriadas.

Em São Paulo, graças a uma lei estadual, é proibido sacrificar os animais sadios que forem capturados nas ruas. A medida tem um lado humano muito positivo, porém, ela cria um grande problema: os CCZs estão lotados e não podem mais receber animais. Idem as entidades protetoras. O resultado disso é a população canina sem dono aumentando nas ruas.

Você pode pensar: "Qual o problema em deixar os cachorros nas ruas? Afinal, eles não fazem mal para ninguém". Animais abandonados que não recebem vacinação antirrábica anual podem se tornar focos da doença, e a raiva é incurável, tanto para cães como para pessoas. O papel do Centro de Zoonoses é a manutenção da saúde pública. Infelizmente, muitos cães sem dono ainda são sacrificados em lugares onde essa prática é permitida. Dino foi salvo da morte através da adoção. Preta, como inúmeros cães adultos e idosos, teria um triste fim caso não tivesse sido adotada. Mas nem todos têm essa boa sorte.

Não são apenas os Centros de Zoonoses que acolhem cães sem dono, as entidades protetoras os mantém, com muita dificuldade, às centenas. Campanhas de castração e orientação à população são iniciativas importantes para diminuir os nascimentos de cães e gatos que terão como destino a morte ou a vida num abrigo.

Felizmente, existem pessoas que, assim como Flávio e Rosimeirese, ficam sensibilizadas e adotam animais abandonados. Ganham com isso grandes companheiros. Aproveite para conhecer os simpáticos SRD (cães sem raça definida) que estão esperando por um novo lar, bem aqui em nossa seção de doação. Você também pode adotar um gatinho.

Quem não puder adotar um animal, pode "apadrinhar" um ou mais cães ou gatos sem dono. Procurando uma entidade que abriga animais de rua, você poderá contribuir mensalmente para a manutenção dos cães e gatosabrigados, com ração, medicamentos ou outras necessidades. Ajudar faz bem e todos ficam felizes! Se você já é o feliz dono de um cão ou gato adotado, conte-nos a sua história!

Livro recomendado:

Como cuidar melhor do seu cachorro!



Veja também:

- Entidades protetoras
- Cães para doação (SRD)


silvia
Silvia Parisi
médica veterinária (CRMV SP 5532)

Webanimal
www.webanimal.com.br




Livro sobre cães
lado1
pixel

Livro Crônicas para ler com seu cachorro

pixel
lado2
vazio

Guia de Primeiros Socorros

Diário do Dudu
A volta ao mundo




quem somos | fale com a gente
Webanimal é marca registrada da Realty Informática Ltda.
Proibida a reprodução de artigos sem prévia autorização ©Copyright 1998 - 2016